fbpx

Lula é interrogado por mais de cinco horas pelo juiz Sérgio Moro

Estero

BRASILE – Durou mais de cinco horas o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz federal Sérgio Moro em Curitiba, na tarde desta quarta-feira, dia 10 de maio. Lula respondeu a perguntas de Moro, da assistência de acusação, de procuradores do Ministério Público Federal e fez as alegações finais. O ex-presidente é acusado de ter recebido propina da empreiteira OAS por meio das reformas de um apartamento triplex no município de Guarujá, litoral de São Paulo, e de um sítio em Atibaia, no interior do estado paulista.

O depoimento de Lula começou por volta das 14h15. Usando uma gravata com as cores da bandeira do Brasil, o ex-presidente entrou no prédio da Justiça Federal acompanhado de seu advogado Cristiano Zanin. Manifestantes favoráveis e políticos aliados acompanharam Lula até o prédio. Entre os aliados que foram até Curitiba para apoiá-lo, está a ex-presidenta Dilma Rousseff.

O depoimento ocorreu sob forte esquema de segurança na área externa do prédio. Cerca de 3 mil profissionais de segurança pública das esferas federal, estadual e municipal foram mobilizados. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Paraná, desse total, cerca de 1,7 mil são policiais militares que atuam em Curitiba.

Durante todo o dia, centenas de policiais militares fizeram um bloqueio em um perímetro de 150 metros ao redor prédio da Justiça Federal. Agentes da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Federal cuidaram do isolamento do próprio prédio. Os profissionais também acompanharam os atos a favor e contrários a Lula e fizeram a escolta do carro do ex-presidente brasileiro.

Manifestantes contra e a favor de Lula realizaram atos em pontos diferentes da capital paranaense. De acordo com o governo estadual, cerca de 6 mil manifestantes que apoiam Lula foram para Curitiba para acompanhar o interrogatório. Ao todo, foram 128 ônibus vindos de vários estados do país. Grupos contrários também foram para a cidade, mas a Polícia Militar informou que não recebeu notificações de ônibus fretados.

Segundo a defesa de Lula, a ex-primeira-dama não exerceu a opção de compra após a OAS assumir o imóvel. No ano de 2015, Marisa Letícia pediu a restituição dos valores colocados no empreendimento.

Questionamento durou três horas

O interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo juiz federal Sérgio Moro durou cerca de 3 horas e 20 minutos. Moro foi o primeiro a fazer perguntas a Lula, a partir de 14h20, aproximadamente. Durante as quase 3h20, houve um intervalo de cerca de 10 minutos. Após o juiz da Lava Jato, foi a vez de o Ministério Público Federal dar início a seus questionamentos, já por volta das 17h40. Depois da Procuradoria da República, os advogados das partes poderão fazer questionamentos. E ao final da audiência, o juiz da Lava Jato pode voltar a fazer perguntas ao réu.

Lula anda com manifestantes

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quebrou o protocolo ao chegar no prédio da Justiça Federal, no bairro Ahú, em Curitiba, no começo da tarde de ontem (10). Ele desceu do carro e cumprimentou os manifestantes de movimentos sociais que se concentraram nos arredores do local.

O ex-presidente segurou uma bandeira do Brasil ao andar entre os seus apoiadores. Os senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Lindbergh Farias (PT-RJ) o acompanhavam na chegada ao prédio. O presidente do Instituto do Lula, Paulo Okamotto, o aguardava.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chegou pouco depois das 9h30 desta quarta-feira, 10, a Curitiba para prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro em uma das ações em que é réu na Operação Lava Jato. Lula chegou no aeroporto Afonso Pena em um avião particular e seguiu para um hotel antes de ir à Justiça Federal onde esteve pela primeira vez frente a frente com Moro.

Apoiadores fizeram vigília

Um grupo de manifestantes do Movimento Sem Terra (MST) chegou, no início da tarde desta quarta-feira (10), aos arredores do prédio da Justiça Federal, no bairro Ahú, em Curitiba, onde devem acompanhar o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Eles se concentraram no cruzamento das ruas São Sebastião e Emílio Cornelsen, que não foram interditadas pela polícia.

“Nós estamos aqui em uma espécie de comissão de frente do povo brasileiro. São 500 militantes e, simbolicamente, queremos acolher e proteger o ex-presidente. Agora nós vamos caminhar até a barreira para ver a chegada dele. Depois, permaneceremos em vigilância”, disse João Pedro Stédile, representante do MST, em entrevista à Banda B. Os manifestantes lamentaram, ainda, que o juiz Sérgio Moro não tenha autorizado a transmissão ao vivo do depoimento, para que todos tivessem acesso.

‘Tuitaço’

Desde o início da manhã desta quarta-feira, 10, o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sérgio Moro foi um dos assuntos mais comentados nas redes sociais, chegando ao Trending Topics do Twitter no Brasil. A discussão entre internautas atraiu defensores de ambos os lados e promoveu hashtags como #LulaEuConfio e #MoroOrgulhoBrasileiro. Até 18h, eram mais de 80 mil mensagens em apoio a Lula.

Adilza Rios – Brasil


Lascia un commento

Il tuo indirizzo email non sarà pubblicato. I campi obbligatori sono contrassegnati *

Hai apprezzato i nostri contenuti? Aiutaci a condividerli.

RSS
Facebook
YOUTUBE